BRASILDESTINOSESTILO DE VIDAILHAS

Conheça a Ilha do Cardoso

A Ilha do Cardoso é o lugar perfeito para quem procura férias e descanso

Se você quer descanso e lazer, a ilha do Cardoso é o lugar certo, aqui não tem carros, não tem muitas pessoas tornando este lugar um verdadeiro refúgio.

Não há estradas estabelecidas, nem carros. Não há, nem ônibus escolar; as crianças são apanhadas e levadas para a escola de barco.

 

A eletricidade é gerada por painéis solares e o gerador é desligado todas as noites às 10h30. A Ilha do Cardoso é uma área protegida no Brasil, e apenas aqueles que nascem lá têm permissão para morar lá – a menos que você se case com uma pessoa local.

Conheça a Ilha do Cardoso
Conheça a Ilha do Cardoso
A Ilha do Cardoso está localizada no extremo sul do estado de São Paulo – mais de 170 milhas a sudoeste da gigantesca cidade homônima do estado de mais de 12 milhões de habitantes.

Os 33.000 acres de manguezais, praias, pântanos e vida selvagem da ilha protegeram o status de parque estadual.Chegar lá para pernoitar não é fácil. Os visitantes devem viajar até Cananéia, cidade mais ao sul do estado de São Paulo, e depois pegar uma balsa para cruzar o trecho de água do Mar Pequeno.

A viagem até o Marujá, povoado no extremo sul da ilha, leva cerca de três horas de Cananéia.

Mas os habitantes da ilha preferem ficar um pouco fora de alcance.

É uma comunidade forte. Os poucos hóspedes que visitam se reúnem com os cariocas em um dos poucos restaurantes da ilha ou no bar das “pousadas” – pousadas locais de gestão familiar. O fotógrafo alemão Ralf Henze já visitou a ilha inúmeras vezes por conta da “vida simples e do povo feliz”.

“Claro que eles poderiam se mudar para o continente, mas esta é uma vida sobre ter menos, não ter ego e não ser materialista”, diz Henze.

Espaço para você na Ilha do Cardoso

Espaço para você na Ilha do Cardoso
Espaço para você na Ilha do Cardoso

Qualquer pessoa pode visitar a ilha, mas é importante fazer a reserva com antecedência, pois não há muitos quartos disponíveis. De Cananéia, o visitante pode pegar um barco até Pereirinha, praia a apenas seis quilômetros da cidade, passando por cardumes de golfinhos, peixes e outros animais marinhos.

A poucos passos da praia, o Núcleo Perequê é a sede do parque estadual. Inaugurado em 2010, o pequeno prédio abriga um enorme esqueleto de baleia e oferece passeios guiados pelos manguezais, além de oportunidades de aluguel de barcos particulares.

Uma trilha por quase um quilômetro de árvores densas com raízes finas que serpenteiam e entram e saem da água salgada azul-clara termina de volta à praia de Pereirinha. A praia tem um restaurante familiar, o Quiosque Raiz Caiçara , uma pequena cabana que oferece peixes, salada e arroz.

A cabana também aluga guarda-chuvas e, em ocasiões especiais, oferece assados ​​de porco. O limite de visitantes estabelecido pelo Parque Estadual da Ilha do Cardoso significa que as dunas de areia nunca ficam lotadas.

Leia também:
Os aficionados por pássaros vão se deliciar com a abundância de habitantes com penas da ilha: papagaios de cauda vermelha, berry comedores de cabeça preta, tanager de dorso preto e tiranuleto de restinga são apenas algumas das espécies endêmicas do Brasil ameaçadas de extinção que podem ser identificadas. Para uma experiência mais envolvente, siga para o Marujá, um vilarejo no extremo sul da ilha, a cerca de 37 quilômetros de Cananéia de barco.

Pergunte no porto do continente ou no centro de visitantes do Núcleo Perequê sobre aluguel de barcos para chegar ao Marujá. Essa paisagem no estilo Jurassic Park é onde ficam as hospedarias e a maioria das pessoas da ilha. A aldeia abriga comunidades Caiçara, que são tradicionais habitantes das regiões costeiras do sul do Brasil e descendem de indígenas, europeus e africanos.

Agradavelmente desconectado da vida moderna

Agradavelmente desconectado da vida moderna
Agradavelmente desconectado da vida moderna
Os 33.000 acres de manguezais, praias, pântanos e vida selvagem da ilha protegeram o status de parque estadual. Os moradores comem os peixes que pescam e as frutas e vegetais que cultivam, geralmente milho, arroz, cana-de-açúcar, banana, feijão e mandioca.

Seus métodos agrícolas são baseados em um sistema denominado coivara, uma técnica sustentável que envolve uma derrubada na floresta sendo queimada e plantada por três anos. Após essa duração, fica em pousio por até 10 anos antes de ser reaproveitado.

 

Tudo o que não podem produzir, têm que viajar até Cananéia para comprar. É um modo de vida tradicional do povo Caiçara, mas é uma vida ameaçada pela especulação imobiliária e pelo declínio dos estoques pesqueiros.
O ecoturismo é uma valiosa fonte de renda, e optar por fazer um dos passeios oferecidos pelos habitantes locais é uma obrigação. Uma caminhada de 24 quilômetros de extensão perto da Praia de Laje, no lado sul da ilha, leva a uma piscina natural secreta, um passeio de barco leva a uma cachoeira impressionante, uma excursão noturna oferece a oportunidade de observar crocodilos e fitoplâncton, ou um a permanência em um sambaqui – um montículo de concha – oferece a chance de conhecer a etimologia tupi, a língua falada pelos pescadores coletores que ocuparam o Brasil antes da chegada dos europeus.

Esses enormes montes são feitos simplesmente de conchas e são uma das únicas evidências de que esses grupos – chamados de sambaquieiros ou povo de conchas – existiram.

De volta ao Marujá, a apenas cinco minutos das pousadas, há uma extensa praia de areia, que oferece a oportunidade de nadar e mergulhar com golfinhos, se tiver sorte, ou alugar bicicletas para pedalar pelos caminhos que cortam as dunas. À noite, haverá uma atração completamente diferente para mantê-lo ocupado; frequentemente ocorrem tempestades terríveis sobre o Oceano Atlântico e as montanhas da ilha.

 

O governo brasileiro está se movendo para privatizar a gestão de vários parques, que os críticos temem agravar o desmatamento no delicado bioma da Mata Atlântica. Portanto, pode ser uma boa ideia visitá-la mais cedo ou mais tarde.

A Ilha do Cardoso não é um destino para todos, mas é uma chance única de vislumbrar um estilo de vida que pode deixar de existir no futuro, e realmente se desconectar da agitação da vida moderna.

Gostou da ilha do Cardoso?

Gostou da ilha do Cardoso?
Gostou da ilha do Cardoso?
O ritmo na Ilha do Cardoso está longe da agitação da cidade. Uma balsa que ia de Cananéia à Ilha do Cardoso não tem mais a ilha como parada em seus roteiros, agora o visitante deve alugar um barco particular do continente ou embarcar em um dos barcos que já estão fazendo a travessia.

 

Ou peça à sua pousada que indique um capitão que te acompanhe, ou, como sugere Rodrigo, o gerente da Pousada Villa Verde, “pergunte no porto por Alex – ele normalmente faz as travessias”. Para chegar ao Pereirinha, uma lancha para quatro pessoas leva cerca de uma hora e custa cerca de  R$ 150.

 

Para viajar pela ilha, de Pereirinha a Marujá, o centro de visitantes do Perequé, administrado pelo parque estadual, também ajuda com as reservas. A acomodação é modesta e barata. A Pousada Ilha Do Cardoso em Marujá, que fica na praia, custa cerca de R$ 55 por pessoa por noite. Há um restaurante no local e o café da manhã está incluído nas diárias. A Pousada Villa Verde está situada ao longo da mesma praia e os preços começam em cerca de R$ 40 por noite em quarto duplo. É familiar e oferece internet e café da manhã gratuito.

Facebook Comments

0 0 votos
Deixe uma nota
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comentex
()
x
Optimized with PageSpeed Ninja